quarta-feira, 30 de abril de 2008

Sinopse

O documentário registra a passagem do ciclo ativista marcelo siqueira, pela ilha socialista, a partir de Havana, onde ele se envolve com diversos núcleos. Marcelo parte do Brasil com o objetivo de estudar o uso que os cubanos tem com a bicicleta por causa da experiência que eles tiveram com o período especial (anos noventa). Momento no qual os cubanos tiveram sérias dificuldades de abastecimento energético e material.
Trocaram seu açúcar por bicicletas chinesas e toda a população mesmo faminta começou a andar de bicicleta, tendo em vista que marcelo tem a formação de desenho industrial ele também pretendia desenvolver um bicicleta baseada na transformações que os cubanos fizeram na bicicletas chinesas soldando uma bicicileta na outra, criando veículos de tranporte de pessoas e cargas com design de concha. Alem disso também pretendia tentar entregar uma boa bicicleta de corrida para um jovem ciclista, para futuramente ver qual seria o impacto no seu desenvolvimento como ciclista profissional. No núcleo de Havana marcelo mora em um cortiço e vive de perto a realidade do cubano com uma família que o recebeu, permitindo conhecer de perto um pouco do cotidiano deles. Em Havana também conviveu com um brasileiro estudante de música que mostrou a marcelo o universo da música e do jazz . Entre muitos personagens dessa aventura marcelo conheceu um babalawo (chefe espiritual da religião Santeria, muito praticada em Cuba, e ficou hospedado em sua casa durante alguns dias também), que explicou a ele um pouco dessa riquíssima religião que é um sincretismo religioso.
Ainda no núcleo de Havana conheceu poetas e escritores, frequentou centros culturais fora do circuito turístico que enriqueceram muito seu universo intelectual. Visitou também um município próximo a Havana
(regla), onde conheceu um museu e uma feira livre de alimentos, e a famosa colina Lenin. Também conversou com ciclistas de todo tipo e de todos os lugares do mundo que pedalavam pelas ruas de Havana.
Marcelo também pode conferir de perto a saúde pública, e sua eficiência.
Marcelo foi a Pinar del Rio, um dos principais polos produtores de tabaco, local que possue muitas fazendas envolvidas nesse cultivo, visitou algumas. Pinar tambem eh conhecida por ter ricas formacoes geograficas, cheia de cavernas e montanhas ocas. Acredita-se que a regiao era fundo de mar antigamente. Em um outro núcleo de sua viagem marcelo foi pra Varadero, famosa mundialmente por suas magnificas praias de agues transparentes e resorts, comparando o estilo de vida altamente turistico com o estilo de vida simples das pessoas que trabalham em varadero, mas vivem em Cardenas; uma cidade cujo uso da bicicleta eh mais antigo que a propria revolucao cubana. Pessoas de todas as idades utilizam a bicicleta como principal meio de transporte, seguido pelas charretes. Essa cidade possui ate mesmo monumentos em forma de bicicleta e de charrete, homenageando uma cidade livre de congestionamentos e fumaca de escapamento, tem um ritimo de vida completamente diferente de todos os lugares que Marcelo passa em sua viajem. Apos vivenciar essa comparacao, Marcelo viaja para Trinidad, outro nucleo turistico de Cuba aonde passa por irreverentes experiencias pedalando a cidade com sua bicicleta. Aproxima-se de gente humilde que ganha o pao de cada dia vendendo doces carregados numa cesta sobre uma bicicleta. Conhece o lider espiritual da Santeria local e entrevista pessoas que falam abertamente de seu pa’is, suas conquistas e sua revolucao e organizacao da sociedade. Depois disso, Marcelo volta para Havana e passa a frequentar a faculdade de desenho industrial ISDI, fazendo um curso especial de um mes, com enfase em cartazes.

Nenhum comentário: